terça-feira, 27 de março de 2012

Keynesianismo

Keynesianismo não rima com custo de oportunidade.

A ideia que é preciso gastos para estimular não resolve uma questão prévia: de onde surge a possibilidade de gastar? Os recursos têm de ser reafectados. Eles não estão simplesmente parados, à espera que nada aconteça, e prontos para serem colhidos pelos estimuladores.

Os recursos se pretendem usar para estimular economias são os mesmo recursos que deixam de ser utilizados noutras actividades. Quanto valem essas "outras actividades"? Esse é o custo de oportunidade que deve ser usado para avaliar a benesse do estímulo.

Creio que muitos políticos acreditam que o custo de oportunidade é zero, ou seja, que os recursos não estariam a fazer mais nada se não estivessem a estimular a economia. Esta é uma grande falácia da política económica keynesiana.

Se o custo de oportunidade fosse zero... mas não é.

Sem comentários: